Notícias »

Após reunião, Taques confirma Jean, Modesto e Marrafon no secretariado

Tarso Nunes e Valérya Próspero
RDNEWS 14 de novembro de 2014, 15h11

REUNIÃO TAQUESApós reunião com deputados eleitos, o governador eleito Pedro Taques (PDT) anunciou três nomes que irão fazer parte do próximo governo, a partir de 1º de janeiro. Júlio Modesto ficará na secretaria de Gestão, que substituirá a atual secretaria de Admininstração; o advogado Marco Aurélio Marrafon ocupará a pasta de Planejamento e Finanças e Jean Campos a Comunicação. A Comunicação tende a ser reduzida a uma superintendência.

Apesar de o pedetista negar que já tenha novos secretários, nos bastidores, comenta-se que Gustavo Oliveira, ligado à Fiemt e membro da equipe de transição, poderá comandar a Casa Civil, além de Seneri Paludo para a Agricultura. De todo modo, Taques é taxativo em relação aos cotados. “Qualquer outro nome é meramente especulação”, ressalta após reunião na sala de transição. Ele afirmou que só voltará a se reunir com a equipe na próxima quinta (20), quando retorna de Brasília.

O pedetista ressaltou a pretensão de definir, até o final deste mês, os nomes dos secretários, bem como a estrutura da administração. Neste sentido, Taques estuda de que forma encaminhará a reforma à Assembleia, se vai solicitar por meio do governador Silval Barbosa (PMDB) ou vai esperar assumir o Palácio Paiaguás.

De todo modo, o governador eleito reafirmou a necessidade de cortes, uma vez que a gestão de Silval, segundo o pedetista, está no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal e, por isso, será preciso contornar esta situação. Para tanto, Taques pretende encontrar outras formas para aumentar a arrecadação. “Também precisamos de uma base tributária maior”, explica.

Na mesma linha, o coordenador da equipe de transição, prefeito licenciado de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), confirmou que a situação financeira do Estado requer cuidados. O pedetista espera que o Governo não tenha omitido nenhuma informação acerca das contas públicas. “Esperamos que não tenha nada escondido. Não queremos surpresas”, alerta.

Em relação à polêmica da fusão da secretaria de Cultura, haja vista que Taques recebeu várias críticas sobre o assunto, Pivetta afirmou que o governador eleito foi escolhido pela população para realizar as mudanças e, por isso, não exitará em tomar algumas atitudes, mesmo que não seja contra vontade de alguns segmentos. “Tem que parar de tratar o Estado como lugarzinho de resolver problemas pessoais e partir para a atitude. Taques foi eleito para isso”.




%d blogueiros gostam disto: